1. Pular para o Menu
  2. Pular para o Conteúdo
  3. Pular para o Rodapé

À Meia noite....

PDF Imprimir E-mail

Escrito por Mário Moreno Qua, 02 de Setembro de 2009 09:06

O que acontece à meia-noite que torna este horário do dia tão especial? Isso ocorre especialmente às sextas-feiras, pois parece ser o dia ideal para que os demônios e as trevas se manifestem ainda com mais força!

Existem alguns textos bíblicos que podem nos dizer algo sobre este termo – meia-noite – e quem sabe, nos ajudar a elucidar o fato.

Primeiro vamos começar com a etimologia da Palavra:

Meia – esta palavra é proveniente do termo hebraico hatsâ que significa “dividir, viver metade” (da vida). Em sua raiz temos mais alguns termos, mas aquele que mais nos chamou a atenção foi Hetsi que significa “flecha”. Os demais termos acompanham o significado já dado. A raiz comum destes termos indica que a “flecha” também é usada com a finalidade de “dividir” e neste caso ela faz uma divisão entre a vida e a morte, pois somente é usada contra um inimigo!

Noite – esta palavra é proveniente do termo hebraico “laila” significando “noite”. Porém com esta palavra ocorre algo interessante, pois nas suas raízes temos leta´â que significa “um tipo de lagarto” e também temos o termo lilit - Lilite, que é um conhecido demônio noturno que habita em lugares devastados; na literatura rabínica ela é descrita como uma criatura com asas e cabelos longos e esvoaçantes. Sem dúvida ela personifica a noite e pôr-do-sol.

Bem, agora vamos “juntar” as duas partes e depois veremos os versos bíblicos que nos falam sobre este “tempo”. A meia-noite é então um tempo dentro do tempo o qual, além de “dividir” a noite é também responsável por liberar “flechas” – setas – malignas que tem a finalidade de ferir aqueles que não estão protegidos pelo Eterno. Um outro aspecto é que através da palavra “laila” percebemos que também o mundo espiritual certamente estará se manifestando, pois os “lagartos” são liberados e Lilit, um dos demônios de Há Satan que “trabalham” no período da noite e buscam nas trevas não somente o reforço para aquilo que fazem, mas também “ocultar-se” para não serem facilmente descobertos.

Vejamos agora os versos da palavra que nos falam sobre isso:

A primeira ocorrência destas duas palavras nos fala justamente sobre aquilo que o Eterno faria com os judeus ainda no Egito a fim de libertá-los. “Disse mais Moisés: Assim o Senhor tem dito: À meia noite eu sairei pelo meio do Egito” (Êx 11:4). Esta palavra define que à meia-noite é um tempo de Redenção para Israel! É notável como isso ocorreu e como repercutiu este fato em toda a terra do Egito, pois foi justamente neste horário que ocorreu a morte de todo o primogênito na terra do Egito! “E aconteceu, à meia noite, que o Senhor feriu a todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se sentava em seu trono, até ao primogênito do cativo que estava no cárcere, e todos os primogênitos dos animais” (Êx 12:29).

O Zohar – Livro do Esplendor – falando sobre isso faz uma citação dizendo: “Venha e veja, a hora em que desperta a meia noite, e o Sagrado Abençoado seja Ele entra no jardim do Éden para se agradar com os justos, todas as árvores do jardim do Éden cantam e elogiam diante Dele”. Por esta citação do Zohar parece que os portões que existem no Jardim do Éden são abertos à meia noite e o Eterno então “passeia” pelo Jardim e fala com aqueles que ali já estão aguardando o momento de sua definitiva transformação, pois receberão um corpo que é imortal e eterno! Veja o que nos diz Rav. Sha´ul sobre o assunto: “Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade. E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória” (I Co 15:52-54).

Os textos de Exodo nos informam que à meia-noite está ocorrendo libertação e consequentemente a redenção! Estas duas coisas estão ligadas entre si e pressupoem também duas outras coisas: derrota – de alguém – juntamente com a morte daqueles a quem estão em oposição e no caminho do processo de libertação!

Quando damos continuidade notamos algo ainda mais impressionante, pois os demais textos também estão ligados à estes fatores – libertar e redimir. Sobre Gideão a Palavra nos informa: “Chegou, pois, Gideão, e os cem homens que com ele iam, ao extremo do arraial, ao princípio da vigília da meia noite, havendo sido de pouco trocadas as guardas; então tocaram as buzinas, e quebraram os cântaros, que tinham nas mãos” (Jz 7:19). Novamente à meia-noite acontece a libertação do povo de Israel de seus inimigos juntamente com o juízo – morte – e derrota de seus inimigos. Certamente esta vitória não é somente física, mas também espiritual, pois algum demônio está sendo derrotado e os servos do Eterno estão somente confirmando na terra aquilo que já aconteceu no céu!

Parece que este horário – meia-noite – além de ser o "tempo” em que as Portas do Éden são abertas, parece haver uma relação de “guerra” contra os inimigos do Eterno, pois novamente um homem destrói seus inimigos neste horário... “Porém Sansão deitou-se até à meia noite, e à meia noite se levantou, e arrancou as portas da entrada da cidade com ambas as umbreiras, e juntamente com a tranca as tomou, pondo-as sobre os ombros; e levou-as para cima até ao cume do monte que está defronte de Hebrom” (Jz 16:3). Neste caso, Sansão vingou-se de seus inimigos arrancando as portas de uma cidade! O que nos chama atenção aqui é que “portas” simboliza “autoridade” e isso demonstra que é à meia-noite que a autoridade dos filhos de D-us é “retomada” daqueles que a possuem e passamos a ter, não somente a autoridade, mas também as “trancas” – aquilo que impedia as portas de serem abertas – em nossas mãos!

Foi neste horário que Rute recebeu uma promessa de redenção: “E sucedeu que, pela meia noite, o homem estremeceu, e se voltou; e eis que uma mulher jazia a seus pés” (Rt 3:8). Aquela mulher deita-se aos pés de Boaz – que é a figura exata do Remidor – aguardando o momento de sua redenção; ela está literalmente “aos seus pés”, ou seja, sujeitando-se inteiramente à autoridade daquele homem que irá redimí-la!

À meia-noite também parece ser um tempo de “confusão” para aqueles que não estão vigiando e se preparando para louvarem ao Rei. Shlomo precisou julgar uma causa – mostando assim a sua sabedoria – justamente por causa de um incidente ocorrido à meia-noite: “E levantou-se à meia noite, e tirou o meu filho do meu lado, enquanto dormia a tua serva, e o deitou no seu seio; e a seu filho morto deitou no meu seio” (I Rs 3:20). E o que parecia ser um problema torna-se um ato de justiça, punindo a criminosa e devolvendo aquilo que era de direito à mulher justa! Ainda que o engano se manifeste o Eterno levanta homens sábios para poderem julgar e trazerem à luz toda a verdade; trazer luz àquilo que havia sido feito nas trevas!

Juízo e verdade são a base do governo e dos atos do Etrerno; foi isso que Ele deixou claro quando falava com Iob dizendo: “Eles num momento morrem; e até à meia noite os povos são perturbados, e passam, e os poderosos serão tomados não por mão humana” (Jó 34:20). Imagine que os juízos do Eterno são “deflagrados” e aqueles que são considerados no mundo como “poderosos” – e até os que estão num nível somente espiritual como os demônios – são tomados para serem julgados justamente nesta hora! Parece que tanto na terra quanto no inferno o juízo sempre ocorre nesta hora!

Mas, por que será que o salmista declara que esta também é uma hora de louvor? “À meia noite me levantarei para te louvar, pelos teus justos juízos” (Sl 119:62). Certamente este homem quando escreveu estas palavras sabia que este horário é tempo de louvor ao Eterno, justamente por saber que é neste tempo que ocorrem os juízos e se manifesta a justiça do Todo-Poderoso! Louvor significa que dirigiremos palavras exaltando ao NOME daquele que Julga com retidão e imparcialmente, dando a paga aos pecadores conforme a medida de suas transgressões! Quando agimos desta forma – exaltando o Nome do Eterno – em tão nos colocamos como testemunhas dos atos daquele que é o Único capaz de realizar, de uma só vez, justiça e misericórdia numa só hora!

Um evento ocorrerá – um casamento e uma catástrofe – que certamente causará espanto e trará terror á muitos na terra! E esse evento ocorrerá à meia-noite! “Mas à meia-noite ouviu-se um clamor: Aí vem o esposo, saí-lhe ao encontro” (Mt 25:6). O meio da noite – que dura aproximadamente 12 horas – é exatamente a hora sexta; isso nos mostra então que é nesta hora que o homem e o mal devem ser julgados! É justamente neste tempo que o shofar tocará e ouvir-se-à um grito: “Hinei há Hatan” – “Eis o Noivo!” e certamente o shofar soará em Israel neste horáio avisando que o Rei – bendito seja Ele – está chamando seus servos para a Grande Festa de Casamento que já está preparada para os convidados e para a sua amada Noiva! E neste tempo – à meia-noite - nem mesmo os espíritos que gravitam e habitam as regiões celestes poderão evitar que o Grande shofar toque e que as hostes celestiais se movimentem a fim de recolherem os escolhidos do Senhor! E ainda que Há Satan tente impedir este momento, ele não conseguirá, pois o Criador já preparou este tempo para terminar a grande colheita que já teve início, por isso “Vigiai, pois, porque não sabeis quando virá o senhor da casa; se à tarde, se à meia-noite, se ao cantar do galo, se pela manhã” (Mc 13:35)!

Meia-noite, tempo de “amigos inoportunos” que clamam por solução para seus problemas... Ieshua nos fala sobre isso e enfatiza que é necessárioo resolver o que o amigo pede a fim de “liberá-lo” definitivamente! “Disse-lhes também: Qual de vós terá um amigo, e, se for procurá-lo à meia-noite, e lhe disser: Amigo, empresta-me três pães” (Lc 11:5).

 

Finalmente, a meia-noite é um tempo em que o sobrenatural se manifesta com libertação física – milagres que acontecem por que os seres celestiais são autorizados a agirem e a trabalharem de forma visível em favor dos servos do Senhor. “E, perto da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os escutavam” (At 16:25). Enquanto os servos do Eterno “oravam e cantavam hinos”, o Eterno dava ordens para que eles fossem liberados da prisão física em que estavam! Veja: eles estavam presos fisicamente mas seus espíritos estavam livres para orarem e louvarem ao D-us Todo-poderoso! Certamente você sabe que é com o espírito que oramos e louvamos; estas são coisas que somente aqueles que estão em comunhão com o Espírito de Elohim podem fazer, pois carne e sangue não gostam de orar e louvar! Somente os santos sabem como fazer isso... com o coração!!!

Sha´ul tinha tanto a dizer que mesmo quando as coisas pareciam dar errado – por causa da morte de um jovem – anda assim o Espírito de D-us demonstrava que este é o tempo de uma profunda redenção entre os homens! “E no primeiro dia da semana, ajuntando-se os discípulos para partir o pão, Paulo, que havia de partir no dia seguinte, falava com eles; e prolongou a prática até à meia-noite” (At 20:7).

Mesmo quando as coisas parecem estar “perdidas” é justamente à meia-noite que o Eterno deu discernimento quanto à salvação de todas as pessoas que estavam num navio juntamente com um servo do Eterno! Quando O Eterno toma o controle de uma situação ninguém em lugar algum pode dizer ou fazer algo que possa sequer frustrar os planos do Eterno D-us de Israel! “E, quando chegou a décima quarta noite, sendo impelidos de um e outro lado no mar Adriático, lá pela meia-noite suspeitaram os marinheiros que estavam próximos de alguma terra” (At 27:27).

Meia-noite... Para alguns é um tempo e medo, terror e espanto... Mas para os servos do Eterno que andam na luz – que nada temem senão ao seu Senhor – este é, pela palavra um tempo em que nós vimos e ainda veremos salvação, livramento e redenção... Veremos a derrota de nossos inimigos – Lilit preparare-se para ser derrotada continuamente pelos servos do Eterno – pois ainda que a “Senhora das Trevas” (Lilit) se levante para matar, amaldiçoar e trazer dor à humanidade, o controle, todavia, está nas mãos de Ieshua, do Senhor da Luz, Aquele que é sozinho a Luz do Mundo e o Redentor do Povo de D-us e que neste tempo se levanta para dizer aos seus amados: “Não temam, pois EU estou convosco”!

Que o Eterno faça cumprir sua Palavra!

Rav. Mário Moreno

  Artigos - Escrituras

Parceiros

Twitter

Siga-nos no Twitter, e esteja por dentro das últimas atualizações, eventos e novidades no Shemaysrael.com! Siga-nos.

Congregação Shema Israel

Faça-nos uma visita e cultue ao D-us de Israel conosco.

Rua Ângelo Delapassi, 300 – Parque Bela Vista - Votorantim - SP - (15) 3243-1791

Facebook

Estamos no Facebook! A página do Rabino Mário Moreno tem comentários sobre os últimos os acontecimentos no mundo e bênçãos diárias para sua vida. Página do Rabino no Facebook