1. Pular para o Menu
  2. Pular para o Conteúdo
  3. Pular para o Rodapé

Os “Costumes judaicos” na realidade são os mandamentos que o Eterno deu ao seu Povo para que eles possam viver de uma forma mais plena a comunhão que Ele deseja ter com aqueles que optam pela obediência. Desta “obediência” nasceu o “Judaísmo” que para muitos tornou-se uma “religião” e não um “estilo devida” no sentido de que todo o homem que deseja obedecer ao Eterno deva seguir.

Judaísmo(em hebraico תודהי, transl. Yahadút) é o nome dado à religião do povo judeu, a mais antiga das três principais religiões monoteístas (as outras duas são o cristianismo e o islamismo).

Surgido da religião mosaica, o judaísmo, apesar de suas ramificações, defende um conjunto de doutrinas que o distingue de outras religiões: a crença monoteísta em IHVH (às vezes chamado Adonai ("Meu Senhor"), ou ainda HaShem ("O Nome")) como criador e D-us e a eleição de Israel como povo escolhido para receber a revelação da Torah que seriam os mandamentos deste D-us. Dentro da visão judaica do mundo, D-us é um criador ativo no universo e que influencia a sociedade humana, na qual o judeu é aquele que pertence a uma linhagem com um pacto eterno com este D-us.

Há diversas tradições e doutrinas dentro do judaísmo, criadas e desenvolvidas conforme o tempo e os eventos históricos sobre a comunidade judaica, os quais são seguidos em maior ou em menor grau pelas diversas ramificações judaicas conforme sua interpretação do judaísmo. Entre as mais conhecidas encontra-se o uso de objetos religiosos como o quipá, costumes alimentares e culturais como cashrut, brit milá e peiot ou o uso do hebraico como língua litúrgica.

Ao contrário do que possa parecer, um judeu não precisa seguir necessariamente o judaísmo ainda que o judaísmo só possa ser necessariamente praticado por judeus. O judaísmo é praticado por cerca de treze milhões de pessoas em todo o mundo (2007). Da mesma forma, o judaísmo não é uma religião de conversão, efetivamente respeita a pluralidade religiosa desde que tal não venha a ferir os mandamentos do judaísmo. Alguns ramos do judaísmo defendem que no período messiânico todos os povos reconhecerão IHVH como único D-us e submeter-se-ão à Torah.

Pirkei Avot

Seg, 28 de Julho de 2014 21:31

Pirkei Avot

É costume recitar um capítulo de Pirkê Avot (sequencialmente) a cada Shabat entre Pessach e Shavuót, em Minchá. Recita-se a Mishná "Col Israel" antes de cada capítulo, e a Mishná "Rabi Chananiá" depois de cada capítulo. Alguns continuam recitando um capítulo de Pirkê Avót todos os Shabatót durante o verão (boreal), isto é, de Pessach até o Shabat anterior a Rosh Hashaná. E este é o nosso costume.

CAPÍTULO UM

Todo Israel tem parte no Mundo Vindouro, pois foi dito: E teu povo, todos eles são justos; eles herdarão para sempre a terra; são o ramo de Meu plantio; a obra de Minhas mãos, da qual orgulhar-se.

1.      Moshé recebeu a Torah do Sinai e a passou a Iehoshúa; Iehoshúa aos Anciãos; os Anciãos aos Profetas; e os Profetas a passaram aos Homens da Grande Assembleia. Eles (os homens da Grande Assembleia) disseram três coisas: Sejam prudentes no julgamento; formem (ergam) muitos discípulos; e façam uma cerca em torno da Torah.

2.      Shimón, o justo, foi um dos últimos (membros) dos Homens da Grande Assembléia; Ele costumava dizer: O mundo ergue-se sobre três coisas - sobre (o estudo de) Torah, o serviço (a Deus – no Bêt Hamicdash, nas preces) e os atos de bondade.

3.      Antignos de Sochó recebeu (a tradição oral) de Shimón, o justo. Ele costumava dizer: Não sejam como servos que servem a seu amo para receber recompensa, e sim como servos que servem a seu amo sem o propósito de receber recompensa; e que o temor do Céu esteja sobre vocês.

4.      Iossei ben Ioézer de Tseredá e Iossi ben Iochanán de Jerusalém receberam (a tradição oral) deles. Ióssi ben Ioézer de Tseredá disse: Que o teu lar seja um lugar de    reunião para os Sábios; senta-te no pó aos seus pés; e beba, sedento, suas palavras.

5.      Iossi ben Iochanán de Jerusalém disse: Que o teu lar seja ben aberto (aos hóspedes); trata os pobres como membros de tua família; e não te entregues excessivamente à conversa com a mulher. Isto é dito a respeito da própria esposa; quanto mais há de se aplicar à esposa de outro. Foi por causa disso que os Sábios declararam: Todo aquele que se entrega em excesso à conversa com uma mulher prejudica a si mesmo, descuida-se do estudo da Torah, e afinal herdará o Guehinóm (Purgatório).

6.      Iehoshúa ben Perachiá e Nitai de Arbel receberam (a tradição oral) deles. Iehoshúa ben Perachiá disse: Proveja para ti um mestre; adquira para ti um amigo; e julgue a cada pessoa favoravelmente.

7.      Nital de Arbel disse: Mantenha-te distante de um mau vizinho; não te confraternizes com um homem malvado; e não abandones a crença na retribuição (Divina).

8.      Iehudá ben Tabai e Shimón ben Shátach receberam (a tradição oral) deles. Iehúda ben Tabai disse: Não ajas estiverem de pé à tua frente considere a ambos como culpáveis; mas quando partirem de ti, havendo aceitado a sentença, considere a ambos como inocentes.

9.      Shimón ben Shatách disse: Examine as testemunhas minuciosamente; e seja cauteloso com tuas palavras, para que não seja por causa delas que (as testemunhas ou os litigantes) aprendam a dizer mentiras.

10.  Shemaiá e Avtalión receberam ( a tradição oral) deles. Shemaiá disse: Ame o trabalho; abomine assumir altos cargos; e não procure intimidade com o poder governante.

11.  Avtalión disse: Sábios, sejam cuidadosos com suas palavras, pois vocês podem ser punidos com o exílio e desterrados para um lugar de águas malignas (heresia), e os discípulos que os sigam para lá beberão e perecerão (espiritualmente), e consequentemente o Nome do Céu será profanado.

12.  Hilel e Shamai receberam (a tradição oral) deles. Hilel disse: Sejam dos discípulos de Aharón, amando a paz e procurando a paz, amando às suas criaturas semelhantes e aproximando-as da Torah.

13.  Ele costumava dizer: Aquele que procura renome perde seu nome; aquele que não aumenta (seu conhecimento de Torah) o diminui; aquele que não estuda (a Torah) merece a morte; e aquele que explora a coroa (da Torah para seus próprios interesses) perecerá.

14.  Ele costumava dizer. Se eu não for por mim, quem está por mim? E se apenas estou para mim, o que sou eu? E se não agora, quando?

15.  Shamai disse: Estabeleça para ti um tempo fixo para teu estudo da Torah; diga pouco e faça muito; e receba cada pessoa com uma face alegre.

16.  Raban Gamliel disse: Providencie para si mesmo um mestre e livre-se da dúvida; e não separe o dizimo por adivinhação (cálculo aproximado), mesmo dando mais do que a quantidade estipulada.

17.  Shimón, seu filho, disse: Toda minha vida cresci entre os Sábios e não encontrei nada melhor para a própria pessoa que o silêncio; não é o estudo, e sim a prática que é o principal; e quem conversa em excesso traz o pecado.

18.    Raban Shimón ben Gamliel disse: O mundo perdura em virtude de três coisas: a justiça, a verdade e a paz, pois foi dito: Administrem a verdade e o juízo de paz em seus portais. Rabi Chananiá ben Acashiá disse: (D-us), o Santo, bendito seja, quis fazer com que o povo de Israel tivesse (muitos) méritos; por isso, deu-lhes a Torah e mitsvót em medida abundante, como está escrito: O Senhor quis, pela retidão deles (= para que o povo de Israel fosse justo), tornar a Torah grande e magnífica.

CAPÍTULO DOIS

Todo Israel tem parte no Mundo Vindouro, pois foi dito: E teu povo, todos eles são justos; eles herdarão para sempre a terra; são o ramo de Meu plantio; a obra de Minhas mãos, da qual orgulhar-se.

1.      Rabi [Iehudá HaNassí] disse: Qual é o caminho reto que um homem deve escolher para si? Aquele que é honroso para si mesmo e que lhe traga a honra do homem. Seja tão cuidadoso no [cumprimento de uma] mitsvá [aparentemente] menor como no de uma maior, pois você não conhece a recompensa que se dá pelas mitsvót. Considere a perda [sofrida pelo cumprimento] de uma mitsvá frente à recompensa [ganha por sua observância], e o ganho [obtido] de um pecado frente à perda [que este lhe trará em seguida]. Reflita sobre três coisas e você não chegará a pecar: Reconheça o que existe acima de você: um Olho que vê, um Ouvido que escuta, e todos seus atos estão registrados em um Livro.

2.      Raban Gamliel, o filho de Rabi Iehudá HaNassí, disse: É belo o estudo da Torah [combinado] com uma ocupação, pois o esforço que requerem ambos mantêm o pecado distante da mente; e todo o estudo da Torah que não é combinado com trabalho finalmente cessará e levará ao pecado. Todos os que se ocupam com os assuntos da comunidade, que o façam pelo Céu [por amor a Deus], pois o mérito de seus pais os auxilia e sua retidão perdura eternamente. E para vocês — [disse Deus] — designarei uma grande recompensa como se houvessem conseguido [tudo sozinhos].

3.      Sejam cuidadosos com aqueles que estão no poder, pois oferecem sua amizade à pessoa unicamente em benefício próprio; eles aparentam ser amigos quando lhes convêm, mas não se erguem ao lado de um homem em sua hora de aperto [necessidade].

4.      Ele costumava dizer: Cumpra Sua vontade [a de Deus] como se fosse tua própria vontade, para que Ele cumpra tua vontade como se fosse a Sua vontade; desfaça a tua vontade por causa da Sua vontade, para que Ele desfaça a vontade dos outros ante a tua vontade. Hilel disse: Não te separes da comunidade; não te sintas seguro de ti mesmo até o dia de tua morte; não condenes a teu próximo até ter estado em seu lugar; não formules uma declaração [ambígua] que não seja facilmente compreendida [acreditando] que mais tarde ela será compreendida; e não digas: "Quando tiver tempo livre, estudarei", pois talvez nunca tenhas tempo livre.

5.      Ele costumava dizer: Um tolo não pode ser temeroso do pecado, nem um ignorante pode ser um chassid [aquele que faz mais do que exige a lei, ao pé da letra]; a pessoa tímida [que tem medo de questionar] não pode aprender, nem a colérica [que não tem paciência] pode ensinar; nem todo aquele que está muito ocupado no comércio pode tornar-se um erudito; e no lugar em que não haja homens, esforça-te para ser um homem.

6.      Ele também viu um crânio flutuando sobre a água; disse-lhe: Porque afogaste a outros, eles te afogaram; e finalmente aqueles que te afogaram também serão afogados.

7.      Ele costumava dizer: aumentar a carne, aumenta os vermes [no túmulo]; aumentar posses, aumenta a preocupação; aumentar [o número de] esposas, aumenta a feitiçaria; aumentar [o número de] criadas, aumenta a libertinagem; aumentar [o número de] servos, aumenta o roubo. [Mas] aumentar Torah, aumenta a vida; aumentar o estudo assíduo, aumenta a sabedoria; aumentar conselho, aumenta o entendimento; aumentar a caridade, aumenta a paz. Quem adquiriu um bom nome, o adquiriu para si; quem adquiriu para si o conhecimento da Torah, adquiriu para si a vida no Mundo Vindouro.

8.      Rabi Iochanán ben Zacai recebeu [a tradição oral] de Hilel e de Shamai.Ele costumava dizer: Se aprendeste muita Torah, não pretendas reconhecimento especial, pois foste criado justamente para essa finalidade.

9.      Rabi Iochanán ben Zacai teve cinco discípulos [destacados], e estes eram Rabi Eliezer ben Horkinús, Rabi Iehoshúa ben Chananiá, Rabi Iossi, o Cohen, Rabi Shimón ben Netanel e Rabi Elazar ben Arách. Ele costumava enumerar suas qualidades louváveis: Rabi Eliezer ben Horkinús — uma cisterna cimentada que não perde uma gota; Rabi Iehoshúa ben Chananiá — feliz é aquela que lhe deu à luz; Rabi Iossi, o Cohen — um chassid [uma pessoa piedosa, de bom coração, que faz mais do que a lei exige]; Rabi Shimón ben Netanel — temeroso do pecado; e Rabi Elazar ben Arách — como uma fonte, da qual flui cada vez com maior força. Ele costumava dizer: se todos os Sábios de Israel estivessem de um lado da balança e Eliezer ben Horkinús do outro, ele pesaria mais que todos. Abá Shaul disse em seu nome: se todos os Sábios de Israel, inclusive Eliezer ben Horkinús, estivessem de um lado da balança, e Elazar ben Arách estivesse do outro, este pesaria mais que todos.

10.  Ele disse a eles: Saiam e vejam qual é o bom caminho ao qual o homem deve aderir. Rabi Eliezer disse: Um bom olho; Rabi Iehoshúa disse: Um bom amigo; Rabi Iossi disse: Um bom vizinho; Rabi Shimón disse: Aquele que considera as conseqüências [de suas ações]; Rabi Elazar disse: um bom coração. [Raban Iochanán ben Zacai] disse a eles: Prefiro as palavras de Elazar ben Arách às suas, pois em suas palavras estão incluídas as suas. Disse-lhes: Saiam e vejam qual é o mal caminho do qual o homem deve se afastar. Rabi Eliezer disse: Um mau olho; Rabi Iehoshúa disse: Um mau amigo; Rabi Iossi disse: Um mau vizinho; Rabi Shimón disse: Aquele que toma emprestado e não devolve — quem toma emprestado do homem é como se tomasse emprestado de Deus — pois foi dito: O malvado toma emprestado e não devolve, mas o reto age com graça e dá. Rabi Elazar disse: um mau coração. [Raban Iochanán ben Zacai] disse a eles: Prefiro as palavras de Elazar ben Arách às suas, pois em suas palavras estão incluídas as suas. Eles disseram três coisas [cada um]: Rabi Eliezer disse: Que a honra de teu próximo seja tão preciosa para ti como se fosse tua própria [honra], e não te irrites com facilidade. Arrependa-te um dia antes de tua morte. Esquenta-te com o fogo dos Sábios, porém cuida-te de suas brasas ardentes, para que não te queimes — pois sua mordida é a mordida de uma raposa, sua picada é a picada de um escorpião, seu silvo é o silvo de uma serpente, e todas suas palavras são como brasas ardentes.

11.  Rabi Iehoshúa disse: O olho mau, a má inclinação e o ódio ao próximo arrebatam o homem do mundo.

12.  Rabi Iossi disse: Que o dinheiro do teu próximo seja tão precioso para ti como se fosse o teu próprio [dinheiro]; prepara-te para o estudo da Torah, pois não chega a ti através de herança; e que todas tuas ações sejam por amor ao Céu.

13.  Rabi Shimón disse: Seja cuidadoso na leitura do Shemá e na prece. Quando orar, não faça da tua prece um ato rotineiro [mecânico], e sim um rogo de piedade e uma súplica diante de Deus, pois foi dito: Porque Ele é gracioso e compassivo, lento para a ira e de abundante misericórdia, e desiste do mau decreto. E não te consideres malvado em tua própria auto-avaliação.

14.  Rabi Elazar disse: Seja diligente no estudo da Torah; saiba o que responder a um não-crente; e saiba diante de Quem tu te esforças; e Quem é o teu patrão que pagará a recompensa de teu labor.

15.  Rabi Tarfón disse: O dia é curto, o trabalho é demasiado, os trabalhadores são preguiçosos, a recompensa é grande, e o Dono insiste [urge].

16.    Ele costumava dizer: Não estás incumbido de completar o trabalho, porém não estás livre para desistir dele; se estudaste muita Torah, te darão muita recompensa; e teu Patrão é confiável em te pagar a retribuição de teu labor; porém saiba que a entrega da recompensa aos justos será no Mundo Vindouro.

CAPÍTULO TRÊS

Todo Israel tem parte no Mundo Vindouro, pois foi dito: E teu povo, todos eles são justos; eles herdarão para sempre a terra; são o ramo de Meu plantio; a obra de Minhas mãos, da qual orgulhar-se.

1.      Akaviá ben Mahalalel disse: Reflita sobre três coisas e não chegarás a pecar: saiba de onde vieste, para onde vais, e perante quem, no futuro, haverás de prestar juízo e contas. "De onde vieste" - de uma gota fedorenta; "e para onde vais" - para um lugar de pó, larvas e vermes; "e perante quem haverás de prestar juízo e contas" - perante o supremo Rei dos reis, o Santo, bendito seja.

2.      Rabi Chaniná, suplente do Sumo Sacerdote, disse: Reza pelo bem-estar do governo, pois se não fosse pelo temor a este, os homens se engoliriam vivos uns aos outros. Rabi Chaniná ben Teradión disse: Se duas [pessoas] estão sentadas juntas e não trocam entre si palavras de Torah, esta é uma companhia de zombadores, pois foi dito: Ele não se senta em companhia de zombadores. Mas se dois se sentam juntos e trocam entre si palavras de Torah, a Presença Divina repousa entre eles, pois foi dito: Então os que temem a Deus conversaram um com o outro, e Deus prestou atenção e escutou, e um livro de recordação escreveu-se diante d'Ele para aqueles que temem a Deus e meditam sobre [a grandeza de] Seu Nome. Deste versículo aprendo apenas que é assim quando se trata de duas pessoas; de onde aprendemos que mesmo quando uma [pessoa] se senta só e se ocupa com a Torah, que o Santo, bendito seja, fixa para ela uma recompensa? Do versículo: Ele senta-se só e [estuda tranqüilo] em silêncio;de fato, ele toma para si [a recompensa].

3.      Rabi Shimón disse: Três [pessoas] que comeram na mesma mesa e não falaram palavras de Torah é como se houvessem comido dos sacrifícios aos [ídolos] sem vida, pois foi dito: Certamente, todas as mesas estão cheias de vômitos asquerosos, [quando] não há [a menção de] Deus. Mas três [pessoas] que comeram na mesma mesa e pronunciaram ali palavras de Torah, é como se houvessem comido da mesa de Deus, pois foi dito: E disse para mim: Esta é a mesa que se encontra em frente a Adonai.

4.      Rabi Chaniná ben Chanichai disse: Quem fica acordado à noite ou fica andando pelo caminho, e volta seu coração à ociosidade, realmente [se então ele não se dedica à Torah], coloca em perigo a sua vida.

5.      Rabi Nechuniá ben Hacaná disse: Quem assume sobre si o jugo da Torah [isto é, a obediência e diligência no seu estudo e cumprimento] - lhe são retirados o jugo do governo1 e o jugo das obrigações mundanas; porém, quem retira de si o jugo da Torah – lhe são impostos o jugo do governo e o jugo das obrigações mundanas.

6.      Rabi Chalaftá ben Dossá de Kfar Chananiá disse: Se dez [pessoas] sentam-se juntas e se ocupam de Torah, a Presença Divina repousa entre elas, pois foi dito: Deus ergue-Se na congregação de Adonai 2. De onde sabemos [que isto também é verdade mesmo apenas] com cinco? Pois foi dito: E o Seu grupo3 [feixe] Ele fundou sobre a terra. De onde sabemos [que o mesmo é verdade apenas] com três? Pois foi dito: Entre os juízes Ele julga4. De onde sabemos [que o mesmo é verdade apenas] com dois? Pois foi dito: Então os tementes de Deus conversaram um com o outro 5, e Deus prestou atenção e escutou. De onde sabemos [que o mesmo é verdade apenas] com um? Pois foi dito: Em todo lugar em que Meu Nome seja mencionado virei a ti e te abençoarei6.

7.      Rabi Elazar de Bartota disse: Dá a Ele do que é Seu, pois tu e tudo que é teu é d'Ele. E assim foi dito por David: Pois tudo é Teu, e do Teu temos Te dado. Rabi Iaacóv disse: Quem anda pelo caminho e estuda [Torah], e interrompe seu estudo e observa: "Quão bela é esta árvore!", "Quão belo é esse campo arado!", é considerado pelas Escrituras como se fosse culpável de um pecado mortal.

8.      Rabi Dostaí bar Ianái disse em nome de Rabi Meír: Quem esquece algo de seu estudo [da Torah], as Escrituras o consideram como se fosse culpável de um pecado mortal, pois foi dito: Mas tenha cuidado e guarde tua alma escrupulosamente, para que não esqueça as coisas que teus olhos viram. Poderia se pensar que isto se aplica inclusive se o tema foi demasiado difícil para ele [e por isso o esqueceu], motivo pelo qual nas Escrituras acrescenta-se: Para que elas não sejam afastadas de teu coração todos os dias de tua vida. 1) Isto é, a comunidade assume o fardo de suas obrigações [junto ao governo]. 2) "Congregação" refere-se a dez pessoas - vide Números 14:27. 3) Refere-se a algo (atado) que agarra-se com os cinco dedos. 4) De acordo com a Torah, um Tribunal mínimo compõe-se de três juízes. 5) "Um com o outro" refere-se a duas pessoas. 6) A frase está no singular; refere-se a uma pessoa. De modo que ele não é culpável de pecado mortal a menos que se sente [ociosamente] e o remova [de sua memória, mediante a negligência na revisão de seus estudos].

9.      Rabi Chaniná ben Dossá disse: Todo aquele cujo temor ao pecado precede à sua sabedoria, sua sabedoria perdurará; mas todo aquele cuja sabedoria precede ao seu temor ao pecado, sua sabedoria não perdurará.

10.  Ele costumava dizer: Todo aquele cujas [boas] ações excedam sua sabedoria, sua sabedoria perdurará; mas todo aquele cuja sabedoria exceda suas [boas] ações, sua sabedoria não perdurará. Ele costumava dizer: Todo indivíduo que seus semelhantes se comprazem [têm satisfação] com ele, Deus Se compraz com ele; porém, todo indivíduo que seus semelhantes não se comprazem com ele, Deus [também] não Se compraz com ele. Rabi Dossá ben Harkinás disse: O sono [tarde] pela manhã, o vinho ao meio-dia, o tagarelar das crianças, e sentar-se nos locais de reunião dos ignorantes, arrebatam o homem do mundo.

11.  Rabi Elazar de Modín disse: Aquele que profana as coisas sagradas, que degrada as festividades, que humilha publicamente a seu próximo, que revoga o pacto de nosso pai Avraham [a circuncisão] e que interpreta a Torah em forma contraditória a seu autêntico sentido - mesmo que possua Torah e boas ações, não tem parte no Mundo Vindouro.

12.  Rabi Ishmael disse: Submeta-se espontaneamente a um superior, seja cortês com uma pessoa mais jovem, e receba todas as pessoas com alegria.

13.  Rabi Akiva disse: O riso e a frivolidade acostumam o homem à luxúria. A Tradição [a Torah Oral transmitida] é uma cerca em torno da Torah; os dízimos são uma cerca para as riquezas; as promessas são uma cerca para a abstinência; uma cerca para a sabedoria é o silêncio.

14.  Ele costumava dizer: Querido é o homem, pois foi criado à imagem [de Deus]; é um carinho ainda maior o fato de fazê-lo ciente de que foi criado à imagem [de Deus], pois foi dito: Porque à imagem de Deus Ele fez o homem. Amado é o povo de Israel, pois eles são chamados filhos de Deus; é um carinho ainda maior fato de fazê-los cientes de que foram chamados filhos de Deus, pois foi dito: Vocês são os filhos de Adonai, seu Deus. Amado é o povo de Israel, pois a ele foi entregue um artigo precioso; um carinho ainda maior é o fato de fazê-los cientes de que lhes foi entregue um artigo precioso, pois foi dito: Eu dei a vocês um bom Ensinamento; não abandonem Minha Torah.

15.  Tudo está previsto, porém, mesmo assim, se concede liberdade de escolha; o mundo é julgado com bondade, e tudo é de acordo com a preponderância das [boas] ações.

16.  Ele costumava dizer: Tudo se dá com garantia e uma rede se estende sobre todos os seres vivos; a loja está aberta, o Vendedor dá crédito, o livro de contas está aberto, a mão escreve, e quem deseja tomar emprestado, que venha e tome emprestado; os cobradores fazem suas rondas regularmente, todos os dias, e cobra-se do homem com ou sem o seu conhecimento [de sua dívida], e eles têm em que se basear; o julgamento é um julgamento de verdade; e tudo está preparado para o banquete.

17.  Rabi Elazar ben Azariá disse: Se não há Torah, não há conduta social adequada; se não há conduta social adequada, não há Torah. Se não há sabedoria, não há temor [a Deus]; se não há temor [a Deus], não há sabedoria. Se não há conhecimento, não há entendimento; se não há entendimento, não há conhecimento. Se não há farinha [sustento], não há Torah; se não há Torah, não há farinha. Ele costumava dizer: A pessoa cuja sabedoria excede suas [boas] ações, a que se pode comparar? A uma árvore cujos galhos são numerosos porém suas raízes são poucas, e vem o vento, arranca-a e vira-a de cabeça para baixo, pois foi dito: E será como árvore solitária em terra árida e não verá quando chega o bem; habitará em terra seca no deserto, em terra salina inabitável. Mas aquele cujas [boas] ações excedem sua sabedoria, a que se pode comparar? A uma árvore cujos galhos são poucos mas cujas raízes são numerosas, de modo que mesmo que viessem todos os ventos do mundo e soprassem sobre ela, não poderiam movê-la de seu lugar; pois foi dito: E será como árvore plantada junto às águas, que estende suas raízes até a correnteza, não sentirá quando chega o calor, e sua folhagem será verdejante; em um ano de seca não se preocupará, nem deixará de dar fruto.

18.  Rabi Eliezer Chismá disse: As leis referentes ao sacrifício de aves e ao cálculo relativo ao princípio da menstruação - estas são elementos principais da halachá [Lei da Torah]; o cálculo dos ciclos [astronomia] e o cálculo numerológico de palavras hebraicas [utilizados como base para a interpretação homilética] são condimentos da sabedoria.

CAPÍTULO QUATRO

Todo Israel tem parte no Mundo Vindouro, pois foi dito: E teu povo, todos eles são justos; eles herdarão para sempre a terra; são o ramo de Meu plantio; a obra de Minhas mãos, da qual orgulhar-se.

1.      Ben Zomá disse: Quem é sábio? Aquele que aprende de cada pessoa, pois foi dito: De todos os que me ensinaram obtive sabedoria; na verdade, Teus testemunhos são minha conversa. Quem é forte? Aquele que domina sua [má] inclinação, pois foi dito: Aquele que é lento para a ira é melhor que o homem forte, e aquele que domina suas paixões é melhor que aquele que conquista uma cidade. Quem é rico? Aquele que está contente com sua parte [sorte], pois foi dito: Quando comes do trabalho de suas mãos, feliz és e o bem estará contigo. "Feliz és" — neste mundo; "e o bem estará contigo" — no Mundo Vindouro. Quem é honrado? Aquele que honra aos outros, pois foi dito: De fato, os que Me honram, honrarei, e os que Me desprezam, degradar-se-ão.

2.      Ben Azai disse: Corre para [executar mesmo] uma mitsvá fácil, e foge da transgressão; pois uma mitsvá atrai outra, e uma transgressão atrai outra; pois a recompensa de uma mitsvá é uma mitsvá, e a recompensa de uma transgressão é uma transgressão.

3.      Ele costumava dizer: Não desdenhes ninguém e não rejeites nada, pois não há homem que não tenha sua hora e não há coisa que não tenha seu lugar.

4.      Rabi Levitas de Iavne disse: Seja de espírito sumamente humilde, pois o homem mortal só pode esperar vermes. Rabi Iochanán ben Berocá disse: Quem profana o Nome Celestial em segredo, será castigado em público; inadvertida ou intencionalmente, é tudo o mesmo com relação à profanação do Nome.

5.      Rabi Ishmael ben Rabi Iossi disse: Aquele que estuda a Torah para ensinar, a ele é dada a oportunidade de estudar e de ensinar; e aquele que estuda para praticar [o estudado], a ele é dada a oportunidade de estudar e de ensinar, de observar e de praticar. Rabi Tsadoc disse: Não te separes da comunidade; e não atues como conselheiro [quando fores juiz]; não a transformes [a Torah] em uma coroa para te auto-engrandecer, nem em um machado para cortar. E assim também Hilel costumava dizer: Aquele que explora a coroa [da Torah para seus próprios interesses] perecerá. De fato, aprendeste disto: Quem obtém benefício pessoal das palavras da Torah, arrebata sua vida do mundo .

6.      Rabi Iossi disse: Quem honra a Torah é honrado pelos homens, e quem desonra a Torah é desonrado pelos homens.

7.      Rabi Ishmael, seu filho, disse: [Um juiz] que se abstém de ditar sentenças jurídicas [e em vez disso procura um acordo entre os litigantes] remove de si a inimizade, o roubo e [a responsabilidade de] um juramento desnecessário; mas aquele que se engrandece emitindo avidamente decisões jurídicas é um tolo, malvado e arrogante.

8.      Ele costumava dizer: Não ajas como juiz estando só, pois ninguém pode julgar sozinho, com exceção do Único [Deus]; e não digas [aos demais juízes]: "Aceitem minha opinião", pois eles [a maioria] podem dizer isto [para ti], mas tu não podes [dizer isto a eles].

9.      Rabi Ionatán disse: Quem cumpre a Torah na pobreza, por fim a cumprirá na riqueza; mas quem se descuida da Torah na riqueza, por fim descuidar-se-á dela na pobreza.

10.  Rabi Meír disse: Minimize tuas atividades comerciais e te ocupes da Torah; seja de espírito humilde diante de toda pessoa; se descuidares [do estudo] da Torah, terás diante de ti numerosas causas para descuidar-te dela; mas se te esforças muito na Torah, há abundante recompensa para te dar.

11.  Rabi Eliezer ben Iaacóv disse: Aquele que cumpre uma mitsvá adquire para si um defensor, e aquele que comete uma transgressão adquire para si um acusador. O arrependimento e as boas ações são como um escudo contra a retribuição [castigo]. Rabi Iochanán HaSandlar disse: Toda assembléia [cuja finalidade seja] por amor ao Céu, obterá resultados duradouros, mas aquela que não for por amor ao Céu não obterá resultados duradouros.

12.  Rabi Elazar ben Shamúa disse: Que a honra de teu aluno seja tão preciosa para ti como a tua própria [honra], e que a honra de teu colega seja como a tua reverência por teu mestre, e que a reverência por teu mestre seja como o temor ao Céu.

13.  Rabi Iehudá disse: Seja cauteloso no estudo, pois um erro inadvertido no [cumprimento devido ao insuficiente] estudo se considera uma transgressão voluntária. Rabi Shimón disse: Há três coroas: a coroa da Torah, a coroa do sacerdócio e a coroa do reinado; mas a coroa de um bom nome supera a todas.

14.  Rabi Nehorái disse: Exila-te a um lugar de Torah — e não presumas que ela te seguirá — pois serão teus colegas os que [mediante o debate e a discussão] farão com que esta se estabeleça claramente em ti; e não confies em teu próprio entendimento.

15.  Rabi Ianái disse: Não podemos compreender nem a serenidade [o bem-estar] do malvado nem as tribulações do reto. Rabi Matiá ben Charash disse: Sê o primeiro a saudar a quem encontras e é melhor ser um rabo de leões que uma cabeça de raposas.

16.  Rabi Iaacóv disse: Este mundo é como uma antecâmara do Mundo Vindouro; prepara-te na antecâmara para que possas entrar no salão.

17.  Ele costumava dizer: Uma hora de arrependimento e boas ações neste mundo é melhor que toda a vida do Mundo Vindouro; e uma hora de felicidade no Mundo Vindouro é melhor que toda a vida deste mundo.

18.  Rabi Shimón ben Elazar disse: Não aplaques a teu próximo no momento de sua ira; não o consoles enquanto o morto jaz diante dele; não lhe perguntes [sobre os detalhes] de sua promessa no momento em que a formula; e não trates de vê-lo no momento de sua degradação.

19.  Shemuel HaCatan disse: Não te alegres quando teu inimigo cai, e em seu tropeço não permitas que teu coração se alegre, para que Deus não o veja e lhe desagrade, e desvie Sua ira dele [para ti].

20.  Elishá ben Avúia disse: Aquele que estuda Torah quando criança a que se compara? À tinta escrita sobre papel novo; e aquele que estuda a Torah quando ancião, a que se compara? À tinta escrita sobre papel que foi apagado. Rabi Iossi bar Iehudá de Kfar HaBavlí disse: Aquele que aprende Torah dos jovens, a que se compara? Àquele que come uvas verdes e bebe vinho [novo] de seu tonel; enquanto que aquele que aprende Torah de anciãos, a que se compara? Àquele que come uvas maduras e toma vinho envelhecido. Rabi Meír disse: Não olhes a vasilha, e sim o que ela contém; pode haver uma vasilha nova cheia de vinho velho, ou uma vasilha velha na qual sequer haja [vinho] novo.

21.  Rabi Elazar HaCapar disse: A inveja, o desejo apaixonado e a busca de honrarias arrebatam o homem do mundo.

22.  Ele costumava dizer: Aqueles que nascem estão destinados a morrer; aqueles que estão mortos estão destinados a voltar a viver (outra versão: a ser ressuscitados); e aqueles que vivem [novamente] estão destinados a ser julgados. [Por isso, que o homem] saiba, faça conhecer, e tome consciência de que Ele é Deus, Ele é o Modelador, Ele é o Criador, Ele é o Discernidor, Ele é o Juiz, Ele é a Testemunha, Ele é o Litigante, Ele no futuro julgará. Bendito seja Ele, diante de quem não há iniqüidade, nem esquecimento, nem parcialidade, nem suborno; e saiba que tudo se faz segundo o cálculo. Que tua má inclinação não te assegure que a tumba será um lugar de refúgio para ti, pois contra tua vontade foste criado, contra tua vontade foste feitonascer, contra tua vontade vives, contra tua vontade morrerás, e contra tua vontade estás destinado a prestar contas perante o supremo Rei dos reis, o Santo, bendito seja.

CAPÍTULO CINCO

Todo Israel tem parte no Mundo Vindouro, pois foi dito: E teu povo, todos eles são justos; eles herdarão para sempre a terra; são o ramo de Meu plantio; a obra de Minhas mãos, da qual orgulhar-se.

1. Através de dez expressões o mundo foi criado. O que isto vem nos ensinar? afinal, através de uma só expressão ele poderia haver sido criado! Mas assim foi, para devidamente retribuir aos perversos que destroem o mundo que foi criado através de dez expressões, e para conceder ampla recompensa aos justos que mantém o mundo que foi criado através de dez expressões.

2. Houveram dez gerações desde Adam até Noach - para indicar quão grande é Sua paciência; pois todas [essas] gerações irritaram-No repetidamente, até que Ele trouxe sobre eles as águas do dilúvio. Houveram dez gerações desde Noach a Avraham - para que se saiba quão grande é Sua paciência; pois todas essas gerações irritaram-No repetidamente, até que veio Avraham, nosso patriarca, e recebeu a recompensa de todas elas.

3. Dez testes, Avraham, nosso patriarca, foi testado, e ele manteve-se firme em todos - para indicar o quão grande era o amor de Avraham, nosso patriarca, [por Deus]

4. Dez milagres foram realizados para nossos antepassados no Egito e dez sobre o Mar. Dez pragas trouxe o Santo, bendito seja, sobre os egípcios no Egito, e dez sobre o mar. Dez testes nossos antepassados testaram o Santo, bendito seja, no deserto, conforme foi dito: Testaram-me estas dez vezes e não escutaram Minha voz.

5. Dez milagres foram realizados para nossos antepassados no Bet Hamicdash: nenhuma mulher abortou por causa do cheiro da carne dos sacrifícios sagrados; a carne dos sacrifícios sagrados nunca se decompôs; não se viu uma mosca no matadouro; o Sacerdote não sofreu impureza corporal alguma em Yom Kipur; as chuvas não apagaram o fogo da pilha de lenha do altar; o vento não prevaleceu sobre a coluna vertical de fumaça [dissipando-a]; não se encontrou desqualificação no ômer; nem nos dois pães [de Shavuót], nem nos pães da proposição; ficavam comprimidos de pé, porém quando  se prostravam tinham amplo espaço; nenhuma serpente ou escorpião causou prejuízo em Yerushalaim; e nenhuma pessoa disse a seu semelhante: “O lugar está demasiado apertado para que possa pernoitar em Yerushalaim”

6. Dez coisas foram criadas na véspera de Shabat, no seu crepúsculo. São elas: a boca da terra [para tragar a Corach], a boca da fonte [no deserto], a boca do asno [de Bilam], o arco-íris, o maná, o bastão [de Moshé], o [verme] shamir, as letras [das escrituras], a inscrição [das primeiras Tábuas] e as [próprias] Tábuas. Alguns dizem que também o túmulo de Moshé Rabênu, e o carneiro de Avraham Avinu. E alguns dizem que também os espíritos de destruição, assim como o alicate [original], pois o alicate é feito com alicate.

7. Sete coisas caracterizam um tolo e sete um sábio. Um homem sábio: Não fala diante de quem o supera em sabedoria ou em anos; não interrompe as palavras de seu próximo; não se apressa em responder; pergunta o que é relevante ao tema em questão e responde objetivamente; responde o primeiro assunto, primeiro e o último, por último; com relação ao que não escutou ele diz “não escutei”; e reconhece a verdade. O oposto [destas virtudes] caracteriza o tolo.

8. Sete classes de castigos vêm ao mundo por sete classes de transgressões. Se alguns pagam o dízimo e outros não, uma fome de pânico se estabelece; alguns sofrem fome e outros têm abundância. Se todos decidiram não pagar o dízimo, cria-se uma fome por seca; e [se também decidiram] não separar a chalá, uma fome de destruição se estabelece. A peste vem ao mundo pelas penas de morte enumeradas na Torá que ao Bêt Din [Tribunal Judaico] não foi possibilitado aplicar; e por [utilizar ilegalmente] os frutos do ano sabático. A espada vem ao mundo pela demora da justiça, pela perversão da justiça e por aqueles que emitem decisões de Torá que não estão de acordo com a halachá.

9. Os animais selvagens vêm ao mundo pela prestação de falso juramento e pela profanação do Nome [Divino]. O exílio vem ao mundo pela idolatria, pelo incesto, pelo homicídio e por não deixarem que a terra descanse durante o ano sabático. Em quatro períodos [do ciclo sabático de sete anos] aumenta a peste - no quarto ano, no sétimo ano, no ano seguinte ao sétimo, e ao concluir, anualmente, a festividade de Sucót. No quarto ano, por negligenciarem o dízimo aos pobres do terceiro [ano]; no sétimo ano, por negligenciarem o dízimo aos pobres do sexto [ano]; e no ano seguinte ao sétimo, por [não observarem as leis relativas aos] frutos do ano sabático; ao concluir, anualmente, a festividade de Sucót - por sonegarem os presentes dos pobres [na colheita].

10. Há quatro tipos [de caráter] entre os homens: o que diz: “o que é meu é teu, e o que é teu é meu”, é ignorante; [o que diz] “o que é meu é meu, e o que é teu é teu” - esta é uma característica intermediária; e alguns dizem que esta é uma característica [do povo] de Sedom; “o que é meu é teu, e o que é teu é teu” é um chassid; “o que é teu é meu, e o que é meu é meu” é um perverso.

11. Há quatro tipos de temperamento: facilmente irritável e facilmente apaziguável - sua desvantagem é anulada pela sua vantagem [virtude]; difícil para irar-se e difícil de ser apaziguado - sua vantagem [virtude] é anulada pela sua desvantagem; difícil para irar-se e fácil para ser apaziguado, é um chassid; facilmente irritável e difícil para ser apaziguado, é um perverso.

12. Há quatro tipos de estudantes: rápido para captar e rápido para esquecer - sua vantagem é anulada pela sua desvantagem; lento para captar e lento para esquecer - sua desvantagem é anulada pela sua vantagem; rápido para captar e lento para esquecer - este é um bom legado; lento para captar e rápido para esquecer - este é um mau legado.

13. Há quatro tipos entre aqueles que fazem beneficência; o que deseja dar, porém que os outros não dêem - este é mesquinho com os outros; que outros dêem e ele não - este é mesquinho consigo mesmo; que ele dê e que outros também dêem, é um chassid; que ele não dê e que outros tampouco dêem, é um perverso.

14. Há quatro tipos entre aqueles que vão à Casa de Estudos: o que vai mas não participa [do estudo] obtém a recompensa por ir; o que pratica [o estudo em casa] porém não vai, obtém recompensa pelo ato [de estudar]; o que vai e participa  [do estudo] é um chassid; e o que não vai nem participa, é um perverso.

15. Há quatro características entre os que se sentam diante dos Sábios. [Alguns assemelham-se a] uma esponja, um funil, um coador e uma peneira; uma esponja, que absorve tudo; um funil, que toma de um lado e verte do outro; um coador, que permite que o vinho flua e retém o sedimento; e uma peneira, que permite que passe o pó da farinha e retém a sêmola.

16. Todo amor que depende de um determinado motivo - quando tal motivo desaparece, o amor cessa; mas se não depende de um determinado motivo - nunca cessará. Qual é o [exemplo de] amor que depende de um motivo? O amor de Amnon e Tamar. E qual é o [motivo de] amor que não depende de motivo algum? O amor de David e Yonatan.

17. Toda discussão por amor ao [que habita no] Céu terá um resultado duradouro; e aquela que não é pelo amor ao Céu, não terá um resultado duradouro. Qual é uma discussão por amor ao Céu? A discussão entre Hilel e Shamai. E qual não é por amor ao Céu? A discussão de Corach e toda sua facção.

18. Todo aquele que causa com que muitos tenham méritos, não haverá pecado que venha por sua causa; mas aquele que causa o pecado de muitos não se concederá a ele a oportunidade de arrepender-se. O próprio Moshé foi meritório e fez com que muitos obtivessem méritos, [motivo pelo qual] o mérito de muitos é atribuído a ele, conforme foi dito: Ele [Moshé] cumpriu a justiça de Hashem e Suas ordens junto com Yisrael. Yaravám ben Nevat, pecou e causou o pecado de muitos, [motivo pelo qual] o pecado de muitos é atribuído a ele, conforme foi dito: Pelos pecados de Yaravam, que ele cometeu e fez Yisrael cometer.

19. Todo aquele que possui as três características seguintes é dos discípulos de Avraham, nosso patriarca; e as três características opostas, é dos discípulos do perverso Bilam. Os discípulos de Avraham Avinu, possuem bom olhar, espírito humilde e alma dócil. Os discípulos do perverso Bilam possuem mau olhado, espírito arrogante e alma ambiciosa. Qual é a diferença entre os discípulos da Avraham Avinu, e os discípulos do perverso Bilam? Os discípulos de Avraham Avinu, comem [gozam dos frutos de suas boas ações] neste mundo e herdam o Mundo Vindouro, conforme foi dito: Para fazer com que os que Me amam herdem um bem eterno [o Mundo Vindouro], e seus depósitos Encherei [neste mundo]. Mas os discípulos do perverso Bilam herdam o Guehinom [purgatório] e descem ao abismo mais profundo, conforme foi dito: E Tu, Deus, os atirarás ao abismo mais profundo; os homens sanguinários e traiçoeiros não viverão a metade de seus dias; mas eu confiarei em Ti.

20. Yehuda ben Tema disse: Seja valente como o leopardo, ligeiro como a águia, veloz como o cervo, e forte como o leão, para cumprir a vontade de teu Pai [que está] no céu. Ele costumava dizer: o insolente se encaminha ao Guehinom, mas o envergonhado ao Paraíso. Que seja a Tua vontade, Hashem, nosso Deus e Deus de nossos pais, que se reconstrua o Bet Hamicdash breve em nossos dias, e outorga-nos nossa porção em Tua Torá.

21. Ben Bag Bag disse: Estude-a e estude-a [a Torá], pois tudo nela está; olhe profundamente nela; envelheça e amadureça nela, e não te movas de seu lado, pois não há nada mais edificante para ti que ela. Ben Hei Hei disse: A recompensa é proporcional ao esforço diligente.

22. Ele costumava dizer: aos cinco anos de idade, [deve-se começar] o estudo das Escrituras; aos dez - o estudo da Mishná; aos treze - [a obrigação de cumprir] as mitsvot; aos quinze - o estudo da Guemará [o Talmud]; aos dezoito - o matrimônio; aos vinte - a perseguição [de um meio de subsistência]; aos trinta - [se alcança] a força plena; aos quarenta - a compreensão; aos cinqüenta - [o talento para dar] conselho; aos sessenta - a velhice; aos setenta - a velhice madura; aos oitenta - [um sinal de] força [especial]; aos noventa - o corpo se enruga; aos cem - é como se estivesse morto, desaparecido e suprimido do mundo.

CAPÍTULO SEIS

1. Os sábios ensinaram [este capítulo] na linguagem de Mishná; Bendito é Aquele que os escolheu e a seus ensinamentos. Rabi Meir disse: Todo aquele que se ocupa com [o estudo da] Torá por amor a ela, é merecedor de muitas coisas; além disso, é digno de que todo o mundo houvesse sido criado por sua causa. É chamado de amigo, amado, o que ama ao Onipresente, o que ama às [Suas] criaturas; o que alegra ao [que habita no] céu, alegra às criaturas. [A Torá] o reveste de humildade e de temor [a Deus]; o predispõe para ser um tsadik [justo], um chassid [pio], honesto e fiel; o mantém afastado do pecado e o aproxima às ações meritórias. Dele [as pessoas] desfrutam o benefício do conselho e da sabedoria, compreensão e da força, conforme foi dito: O conselho e a sabedoria são meus; eu sou a compreensão, o poder é meu. [A Torá] outorga-lhe soberania, autoridade, e juízo para discernir; os segredos da Torá lhe são revelados, e ele torna-se como uma fonte que flui com força cada vez maior e como uma correnteza que jamais cessa. Se torna recatado, paciente, e perdoa o insulto do qual é objeto; [a Torá] o engrandece e o eleva por sobre todas as coisas.

2. Rabi Yehoshua ben Levi disse: Todos os dias uma Voz Celestial surge do Monte Chorev, que proclama e diz: “Ai das pessoas por causa da [sua] afronta à Torá!” Pois todo aquele que não se ocupa com a Torá é chamado de “reprovado”, conforme foi dito: [Como] um anel de ouro no focinho de um suíno, [é como] uma mulher formosa que lhe falta discrição. E também foi dito: As Tábuas são obra de Deus, e a escrita é a escrita de Deus, 'charut' - esculpida - nas Tábuas. Não leia charut, e sim cherut [liberdade], pois não há homem livre, salvo aquele que se ocupa com estudo da Torá; e todo aquele que se ocupa com o estudo da Torá se eleva, conforme foi dito: De Mataná ['o presente da Torá'] a Nachaliel ['a herança de Deus'], e de Nachaliel a Bamot  ['lugares elevados'].

3. Aquele que aprende de seu semelhante um único capítulo, uma única lei [da Torá], um único versículo, uma única declaração [bíblica ou rabínica], ou sequer uma única letra, deve render-lhe honra. Pois assim encontramos no caso de David, Rei de Yisrael, que aprendeu de Achitofel apenas duas coisas, e mesmo assim chamou-o de seu mestre, seu guia, seu mentor, conforme foi dito: Tu és um homem de minha estatura; tu és meu guia e meu mentor. Certamente extrai-se uma dedução óbvia: Se David, Rei de Yisrael, que não aprendeu de Achitofel, senão duas coisas, chamou-o de seu mestre, seu guia e seu mentor, aquele que aprende de seu semelhante um único capítulo, uma única lei [da Torá], um único versículo, uma declaração, ou mesmo uma única letra, quanto mais haverá de tratá-lo com honra. E honra somente é merecida pela Torá, conforme foi dito: os Sábios herdarão honra... e os integros haverão de herdar o bem. E o [autêntico] bem é somente a Torá, conforme foi dito: Eis que lhes dei um bom ensinamento, não abandonem a Minha Torá.

4. Assim é o caminho para [adquirir] a Torá: Coma pão com sal, beba água em pouca quantidade, durma sobre o chão, viva uma vida de privações, e empenha-te na Torá. Se fazes assim, “feliz serás e o bem estará contigo”. "Feliz serás - neste mundo; e "o bem estará contigo" - no Mundo Vindouro.

5. Não procures a grandeza para ti, nem cobiçe a honra; que teus atos excedam teus estudos. Não deseje a mesa dos reis, pois tua mesa é maior que a deles, e tua coroa é maior que a deles; e teu Patrão é digno de confiança de que te remunerará por tuas ações.

6. A Torá é maior que o sacerdócio e da realeza; pois a realeza é adquirida [junto] com trinta distinções, e o sacerdócio com vinte e quatro; mas a Torá é adquirida através das quarenta e oito seguintes qualidades: Com estudo, atenção auditiva, articulação verbal [do que foi estudado], percepção [intuitiva] do coração, reverência, temor, modéstia, alegria, pureza, auxílio aos Sábios, estreito vínculo com os colegas, debate perspicaz com os alunos, sobriedade, [conhecimento] das Escrituras [Tanach], da Mishná, reduzindo as atividades comerciais, reduzindo as preocupações com questões mundanas, reduzindo a indulgência no prazer [mundano], reduzindo o sono, reduzindo a conversa, reduzindo a risada, com lentidão para a ira, com um bom coração, com fé nos Sábios, com aceitação do sofrimento, consciente  de seu próprio lugar [- nível], satisfazendo-se com o que tem, fazendo uma cerca em torno de suas palavras, não reivindicando créditos para si, sendo amado, amando o Onipresente, amando as [Suas] criaturas, amando os caminhos da justiça [e bondade], amando os caminhos da retidão, amando a repreensão [crítica], mantendo-se distante das honrarias, não sendo arrogante de seu próprio conhecimento, não tendo prazer em proferir decisões [de halachá], compartilhando o fardo de seu próximo, julgando-o favoravelmente, colocando-o [no caminho] da verdade; colocando-o [no caminho] da paz, deliberando meticulosamente em seu estudo, perguntando e respondendo, escutando e somando [informações ao estudo], aprendendo para ensinar, aprendendo para praticar, aumentando a sabedoria de seu mestre, ponderando adequadamente o sentido do que aprende, e aquele que profere algo em nome de seu autor. Certamente estudaste que: Todo aquele que diz algo em nome de seu autor traz salvação para o mundo, conforme foi dito: E Ester disse ao rei em nome de Mordechai.

7. Grande é a Torá, pois concede vida àqueles que a praticam, neste mundo e no Mundo Vindouro, conforme foi dito: Porque eles [os ensinamentos da Torá] são vida para quem os encontra, e cura para toda sua carne; e também foi dito: Remédio será para teu corpo e tutano para teus ossos; e também consta: É uma árvore de vida para os que nela se apegam, e os que a apóiam são louvados; e também foi dito: Pois são uma grinalda de graça para tua cabeça e um colar para teu pescoço; e também consta: Dará à tua cabeça uma grinalda graciosa, uma coroa de glória te concederá; e também foi dito: De fato, por meu intermédio [da Torá] se multiplicarão teus dias, e  anos de vida serão acrescentados para ti; e também consta: Longa vida está à sua destra, riqueza e honra à sua esquerda; e também foi dito: Longos dias, anos de vida e paz serão aumentados para ti.

8. Rabi Shimon ben Yehuda disse em nome de Rabi Shimon ben Yochai: A beleza, a força, a riqueza, a honra, a sabedoria, a velhice, a velhice madura e os filhos são convenientes aos justos e convenientes ao mundo; conforme foi dito: A velhice madura é uma coroa de esplendor, há de se encontrar na senda da retidão; e também foi dito: O esplendor dos jovens é a sua força, e a beleza dos anciãos é chegar a uma velhice madura; e também consta: Os netos são a coroa dos anciãos, e o esplendor dos filhos são os pais; e também foi dito: A lua se sentirá inferiorizada e o sol se envergonhará quando Hashem dos exércitos reinar no Monte Tsiyon e em Yerushalaim, e haverá honra frente a Seus anciãos. Rabi Shimon ben Menassia disse: Estas sete qualidades que os Sábios enumeraram [como convenientes] para os justos - todas elas se cumpriram em "Rabi" [Yehudá HaNassí] e em seus filhos.

9. Rabi Yossê ben Kismá disse: Certa vez andava pelo caminho, quando deparou-se comigo certo homem. Saudou-me: "Shalom", e eu lhe respondi: "Shalom". Ele me disse: "Rabi, de que lugar és?" Respondi-lhe: "Sou de uma grande cidade de eruditos e sábios". Ele me disse: "Rabi, se estiver disposto a viver conosco em nosso lugar, te daria um milhão de dinares de ouro, pedras preciosas e pérolas". Respondi-lhe: "Mesmo que desses toda a prata e o ouro, as pedras preciosas e as pérolas do mundo, não moraria em nenhum lugar que não fosse um lugar de Torá". E assim está escrito no livro de salmos de David, Rei de Yisrael: A Torá de tua boca é para mim mais preciosa do que milhares de [peças de] ouro e prata. Além disso, no momento em que o homem abandona este mundo, não o acompanharão nem a prata nem o ouro, nem as pedras preciosas, nem as pérolas, mas somente [o conhecimento d]a Torá e as boas ações, conforme foi dito: Quando caminhas, [a Torá] te guiará; quando te deitas, te cuidará; e quando despertas, falará por ti. "Quando caminhas te guiará" - neste mundo; "Quando te deitas, te cuidará - na tumba; "E quando despertas, falará por ti" - no Mundo Vindouro. E também é dito: A prata é Minha e o ouro é Meu diz Hashem [oSenhor] dos exércitos.

10. Cinco aquisições o Santo, bendito seja, tornou Suas [próprias posses] em Seu mundo e estas são: A Torá é um aquisição; o céu e a terra são uma aquisição; Avraham é uma aquisição; o povo de Israel é uma aquisição; o Bêt Hamicdash é uma aquisição. De onde sabemos com relação à Torá? Pois está escrito: Hashem me fez [a Torá] a Sua posse antes da criação, antes de Suas obras em épocas passadas. De onde sabemos com relação ao céu e a terra?  Pois está escrito: Assim disse Hashem: O céu é Meu trono, e a terra é Meu escabelo; Que casa [então] podes tu construir para Mim e onde está o lugar de Meu descanso? E também foi dito: Quão multiformes são Tuas obras, Hashem! Tu as fizeste todas elas com sabedoria; a terra está cheia de Tuas posses. De onde sabemos com relação a Avraham? Pois está escrito: "E ele o abençoou e disse: Bendito seja Avraham pelo Deus Supremo, possuidor do céu e da terra". De onde  sabemos com relação ao povo de Yisrael? Pois está escrito: Até que Teu povo passe, Hashem; até que o povo, que Tu adquiriste, passe; e também foi dito: Ao povo santo que está na terra e aos nobres - neles está todo Meu deleite. De onde o sabemos com relação ao Bêt Hamicdash? Pois está escrito: O lugar que Tu, Hashem, fizeste para Tua morada; o Santuário que Tuas mãos, Hashem, estabeleceram; e também foi dito: E ele os levou ao lugar de Sua Santidade, a montanha [do Bêt Hamicdash] que Sua destra adquiriu.

11. Tudo o que o Santo, Bendito seja, criou em Seu mundo, criou exclusivamente para Sua glória, conforme foi dito: Tudo o que é chamado com Meu Nome, na verdade, é por Minha glória que Eu o criei, Eu o formei e Eu o fiz; e também foi dito: Deus reinará por toda a eternidade.

Hino Nacional de Israel

Seg, 28 de Julho de 2014 21:31

HaTikvá (em português "A Esperança") é o hino nacional de Israel. Nasceu de um poema de Naftali Herz Imber, poeta polonês, escrito em homenagem à fundação da colônia sionista Petach Tikvá ("A Porta da Esperança"), intitulado Tikavatenu ("Nossa Esperança").

Tikavatenu ganhou melodia em 1882, quando Samuel Cohen, um colono de Rishon le Tzion, teve acesso ao poema de Herz Imber. Desde então, com várias modificações na letra, a melodia foi adotada como hino do movimento sionista.

Leia mais...

Declaração de Independência do Estado de Israel

Seg, 28 de Julho de 2014 21:31

Declaração de Independência do Estado JudeuA terra de Israel é o local de origem do povo judeu. Aqui a sua identidade espiritual, política e religiosa foi moldada. Aqui eles primeiro atingiram a formação de um estado, criaram valores culturais de significância nacional e universal e deram ao mundo o eterno Livro dos Livros. Depois de serem forçosamente exilados de sua terra, o povo conservou consigo sua fé durante sua Dispersão e nunca deixou de rezar e sonhar com o retorno para sua terra e com a restauração, lá, de sua liberdade política.

Leia mais...

Bandeira de Israel

Seg, 28 de Julho de 2014 21:31

Bandeira de IsraelHistória do design: A bandeira do Estado de Israel inclui duas faixas azuis sobre um fundo branco com o escudo (Estrela) de Davi (em hebraico: Maguen Davi) no centro. Este design foi apresentado pela primeira vez em Rishon LeZion, em 1885, e também foi usado no Primeiro Congresso Sionista, em 1897 (Enciclopédia Judaica, 1971).

Leia mais...

Parceiros

Twitter

Siga-nos no Twitter, e esteja por dentro das últimas atualizações, eventos e novidades no Shemaysrael.com! Siga-nos.

Congregação Shema Israel

Faça-nos uma visita e cultue ao D-us de Israel conosco.

Rua Ângelo Delapassi, 300 – Parque Bela Vista - Votorantim - SP - (15) 3243-1791

Facebook

Estamos no Facebook! A página do Rabino Mário Moreno tem comentários sobre os últimos os acontecimentos no mundo e bênçãos diárias para sua vida. Página do Rabino no Facebook